quarta-feira, 23 de março de 2011

1000 Tsurus

E por falar em felicidade, às vezes me sinto culpada em me sentir feliz. Quando vejo tanta gente sofrendo, tanta coisa que tem acontecido em cada canto do mundo, me sinto pesada de me sentir feliz, me sinto egoísta!


Os acontecimentos no Japão, principalmente os da usina nuclear de Fukushima, me lembraram de uma vez que uma japonesa foi na minha escola quando fez 50 anos da bomba de Hiroshima. Ela levou muitos tsurus pra distribuir pra gente e contou a história que achei nesse link:




" O tsuru (grou ou garça) é um dos mais conhecidos símbolos da paz. Segundo uma antiga tradição oriental, fazer mil garças em origami é um ato de esperança. Daí surgiu o hábito de fazer uma corrente de tsurus para realizar desejos: a recuperação de um doente, a felicidade no casamento, a conquista de um emprego, entre outros. A primeira referência sobre essa tradição foi encontrada no livro Senbazuru Orikata (Dobradura de Mil Garças), de Ro Ko An, publicado em 1797.


Foi uma menina chamada Sadako Sassaki que imortalizou a corrente dos mil tsurus como símbolo eterno de paz e harmonia. Sadako nasceu em Hiroshima logo após a cidade ter sido atingida por uma bomba nuclear, na Segunda Guerra Mundial. Por causa das radiações, essa garotinha adquiriu uma doença fatal. Aos 10 anos, ao saber da lenda do tsuru ela decidiu fazer mil pássaros de dobradura para ter saúde suficiente para viver. Mas, quando chegou ao 964º, Sadako morreu. Foram seus amigos e parentes que terminaram a corrente."



Emocionante, né?

Tenho uma enorme admiração pelos japoneses, sobretudo pelo caráter deles. Sabe aquela música da bailarina, que todo mundo tem defeito, só a bailarina que não tem? Sou assim com os japoneses. Admiro os japoneses pela tranquilidade, pela fé, pela tradição, pelo respeito que tem pelos mais velhos, pelo amor que tem pelo país e pelos compatriotas, pela inteligência, pela tecnologia, e mesmo pela beleza exterior, principalmente das crianças. Admiro-os ainda mais após todos esses acontecimentos. São centrados, calmos, sabem para onde olhar e para onde seguir, querem reconstruir o país, e não fugir dele.

Dedico esse post a todos os japoneses, todos os que se foram, e todos que ficaram para reconstruir suas cidades. Que Deus esteja com todos vocês!

Obrigada pelo exemplo!




3 comentários:

Cris Rodrigues disse...

Fiquei emocionada!
E essa última foto, que coisa mais linda... Colorido e delicado!
Beijoss

Cris Rodrigues disse...

Ah! Tem um bouquet com craspedias roxinhas no blog hoje!
Bj

Mayana & Jeomar disse...

Linda, linda a história da garotinha, emocionante! Sou uma admiradora do Japão também!

Beijos :)